quarta-feira, 18 de julho de 2018

Capítulo 89

Um sentimento de perda.
Uma pessoa não pode 
perder algo
que nunca teve.

Talvez seja apenas solidão

parecendo perda.
Ou talvez seja apenas a morte
de um sonho.

Por outro lado

há a delicadeza,
a humilde honestidade
cheia de carinho.

Por outro lado

há você
e o extraordinário 
desejo de você.

terça-feira, 17 de julho de 2018

Capítulo 89

A sense of loss.
One cannot
lose something
they've never had.

Maybe it's just loneliness
sounding like losing.
Or maybe it's just the death
of a dream.

On the other hand
there's the delicacy,
the humble honesty
filled with care.

On the other hand
there's you
and the extraordinary
desire of you.

domingo, 15 de julho de 2018

Capítulo 88

Alumbra-me
Teu olhar
A olhar-me
A alma

Desejo que exala
Na luz e na calma
Na paz da manhã

Alumbra-me
Teu desejar
O olhar a buscar
A força do beijar
No sutil (en)cantar.

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Capítulo 87

Alma fluida
Mergida ao som
O desejo se desvanece
na completude

O corpo já
não dá conta
dos seus limites
E a alma transborda
em flores
em cores
em sussurros

Som que
era fora
Preenche agora
a alma em 
suas dores

Paz inquieta
traça o plano
do absurdo
da plenitude.

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Capítulo 86

Por seres tão diferente
Ajudas-me a enxergar-me
Assim como a escuridão
Pode acalmar a luz do dia.

E o que seria de mim
Sem a escuridão
Para oferecer-me repouso
Após o alerta da luz?

Também dou-te contorno
Ao despertar-te do sonho
Ao caminhar ombro a ombro
No entrepasso do amor.

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Capítulo 85

One more time before the last

when I collapse in love

when I have my heart broken

when someone makes me cry.


One more time before I give up

shedding tears for naught

dreaming the foolish dream

loving unmeasurably.


One more time before the last

'cause I’ll keep the beat

'cause I’ll go on this path

'cause love always wins.

domingo, 26 de novembro de 2017

Capítulo 84

Na procura do lugar
Ideal pra se viver
Despido de ilusões
Já me basta apenas ser.
Não busco a perfeição
Mas persigo o prazer
Nos toques imprecisos
Que me guiam sem saber.
A noite não impede
Que eu siga a caminhar
No caminho, o encontro
Me renovo em teu olhar.
No aqui e agora
Tenho muito a lembrar
No canto dos olhos
Ainda trago o mar.
Das paixões tardias
O impulso a seguir
Das lembranças remotas
O desejo a fluir.
Insisto e existo
Resisto a sucumbir
Resta-me a certeza
De que preciso seguir.